Fale via texto agora

Como Divorciar Quanto custa

Como divorciar, quanto custa?

Como faço para me divorciar?

Quais os custos e primeiros passos para o divórcio?

Atendimento-On_line
Fale via WhatsApp

Entre outras situações, durante a pandemia existiu um aumento no Google de 9900% na busca pelo termo “divórcio online gratuito” [1]. Assim, sem adentrar no mérito afetivo de cada relacionamento, considerando também o resultado de outras pesquisas divulgadas, ao que tudo indica, existirá um elevado aumento no número de divórcio, consequentemente, das dúvidas relacionadas ao tema, como:

A decisão de divorciar?

O ideal é que o término da relação conjugal seja precedido de diálogos transparentes e que exista comum acordo, possibilitando com isso o divórcio consensual (amigável) que, além de amenizar conflitos emocionais, normalmente são mais rápidos e menos onerosos financeiramente.

Contudo, caso não exista o consenso, o divórcio poderá ser requerido por uma das partes e, em razão das disposições legais atuais, sua decretação não dependerá mais da aceitação da outra parte.

Como é feita a partilha de bens e dívidas?

Regime de Casamento
Regime de Casamento

Toda questão patrimonial dependerá do regime de casamento escolhido quando do casamento. Lembrando-se que

Após isso, será preciso avaliar quais foram os bens e dívidas adquiridos pelo casal e/ou individualmente por cada cônjuge ao longo do casamento. Somente após o levantamento patrimonial é que o profissional terá condições de analisar a questão de divisão patrimonial.

 

Porém, é importante registrar que, várias são as decisões que decretam o divórcio e o processo judicial permanecerá ativo para que seja realizada apenas a partilha dos bens.

 

Como fica a pensão alimentícia entre cônjuges em caso de divórcio?

O entendimento jurisprudencial majoritário é de que, quando existe o arbitramento de pensão alimentícia ao ex-cônjuge, os alimentos serão devidos por um período pré-determinado. Atualmente, grande parte das decisões consideram o prazo de 24 meses razoável.

Porém, em decorrência de inúmeras variáveis, somente quando o profissional analisar o caso é que terá condições de exteriorizar melhor posicionamento jurídico, até porque, há situações que os alimentos sequer são deferidos, sendo necessário avaliar, escolaridade, profissão, atividade laborativa, quadro clínico, fonte de renda e outras situações.

Como fica a pensão dos filhos?

Caso o casal tenha filhos, o valor da pensão seguirá os procedimentos típicos para avaliar o valor da pensão alimentícia, portanto, também em razão das inúmeras variáveis, somente ao analisar o caso em concreto é que o profissional terá condições de opinar sobre o valor dos alimentos e outras situações, uma vez que não há na lei nenhuma regra matemática autoaplicável.

 

Como fica a guarda e as visitações dos filhos?

As decisões judiciais sempre objetivam diminuir ao máximo os prejuízos emocionais e psíquicos aos filhos menores, por conseguinte, até em razão de alterações legislativas, sempre que possível é priorizado a guarda compartilhada.

Contudo, em razão de fatores diversos, quando não há consenso caberá ao Poder Judiciário e ao Promotor de Justiça, muitas vezes lastreados em laudos técnicos, decidir de forma visando sempre priorizar a proteção real dos interesses do menor.

Assim, como tantas outras questões familiares, somente ao analisar o caso concreto é que será possível avaliar inúmeras situações, dentre as quais, a guarda do menor e o direito de visitação.

 

O divórcio será judicial ou extrajudicial?

Quando há menor e/ou outras situações de incapacidade, por exemplo, ainda que seja amigável, o procedimento será sempre judicial.

Nas demais situações, quando existir consenso o ato pode ser realizado extrajudicialmente.

No entanto, ainda que seja necessário o procedimento judicial, quando há consenso entre as partes os tramites processuais são mais rápidos.

 

Quanto custa o divórcio?

Semelhante ao que ocorre quanto ao qual é o valor do inventário, no divórcio também não é possível antever quais os custos serão necessários para realização do processo. Isso porque, situações como:

  • – existência ou não de menor/incapaz;
  • – se será litigioso ou amigável;
  • – extrajudicial ou judicial;
  • – quais os bens que serão partilhados;
  • – situações sobre pensão alimentícia;
  • – situações com relação à guarda e visitação;
  • – necessidade de ajustes tributários e outros.

Afetam sobremaneira na avaliação dos custos ao Estado, Emolumentos e honorários aos advogados.

Portanto, somente quando o profissional conseguir compilar o conjunto de tais informações, é que terá condições de precificar seus honorários e mensurar aproximadamente os custos ao Estado.

Registra-se que, o cidadão que não possuir condições financeiras e/ou não possuir bens, poderá procurar à defensoria pública, que atende com muita competência os necessitados.

Dúvidas da Atualidades

Apenas à título de curiosidade, atualmente casais estão pleiteado e decisões judiciais estão deferindo ou homologando situações envolvendo guarda e direito de visitação e valores envolvendo animais de estimação.

Existem decisões judiciais que garantem ao ex-esposo o direito ao recebimento de alimentos. E, a guarda do menor não está vinculada à capacidade econômica do genitor.

Relações homoafetivas também estão sujeitas às mesmas regras, pois, sabiamente, existiram alterações legais que findaram discussões sobre o tema.

 

[1] https://revistaforum.com.br/blogs/outravibe/google-brasil-revela-aumento-vertiginioso-de-9900-na-busca-pelo-termo-divorcio-online-gratuito/

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

Artigos relacionados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Search in posts
Search in pages
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

Assine Nossa Newsletter

Atenção Clientes

Papo Legal

Dúvidas e dicas jurídicas em podcast.
plugins premium WordPress
Envie sua dúvida
1
Tudo bem?
Olá. Tudo bem?