Fale via texto agora

Unimed Rio, Golden Cross e o descredenciamento de hospitais e rede referenciada, o que fazer?

Consumidores que mantinham plano de saúde com a Golden Cross, adquirido pela UNIMED RIO, continuam tendo que socorrer do judiciário para ter o contrato cumprido e receber o tratamento esperado.

Isso porque, a UNIMED RIO mantinha com a UNIMED PAULISTANA espécie de parceria, consequentemente os consumidores da UNIMED RIO faziam uso dos hospitais e demais prestadores de serviços que eram credenciados pela UNIMED PAULISTANA. Porém, com o encerramento das atividades da UNIMED PAULISTANA, os consumidores da Golden Cross, adquiridos pela UNIMED RIO, foram surpreendidos com o descredenciamento maciço de hospitais e prestadores de serviços, de tal sorte que, atualmente, dificilmente o consumidor consegue ser atendido da forma que deseja e está e contratualmente prevista.

Entretanto, vários consumidores estão pleiteando judicialmente que a UNIMED RIO cumpra o contrato e disponibilize rede de atendimento com hospitais e prestadores de serviços qualificados, até porque continuam pagando os valores das mensalidades como se não estivéssemos diante de qualquer intercorrência.

E, várias decisões judiciais estão concedendo liminares determinando que a UNIMED RIO disponibilize os meios necessários para que o contrato continue sendo cumprido, respeitando o mesmo padrão de atendimento do plano contratado da rede credenciada, sob pena do pagamento de multa diária.

E nada mais justo, afinal o que as decisões judiciais estão garantindo é a mantença do dever das partes em cumprir com o contrato estipulado, cabendo ao consumidor realizar o adimplemento da mensalidade, sob pena de ter o plano cancelado, e a operada, no caso UNIMED RIO, em disponibilizar a rede de atendimento com as mesmas características da existente quando da parceria com a UNIMED PAULISTANA.

Assim, até porque com a saúde não se brinca, e muitas vezes antes de apreciar o pedido liminar o Juiz pode solicitar informações, o que demanda tempo, é aconselhável aos consumidores da antiga Goden Cross (UNIMED RIO) que solicitem informações sobre a rede referenciada que atualmente está sendo disponibilizada e verifique se corresponde a categoria do plano contratado. Em caso negativo, procurar o profissional de confiança pode ser extremamente útil, afinal é de conhecimento notório que qualquer intercorrência hospitalar pode refletir em gastos elevadíssimos, situação que é possível amenizar com a interposição da ação cabível.

Não obstante, há de salientar que outras decisões determinam também que a UNIMED RIO tenha que depositar judicialmente valores para o tratamento médico solicitado ou expedir a autorização, demonstrando novamente que o Poder Judiciário está atento a situação de desamparo que vários consumidores estão enfrentando, neste sentido:

“….Ante o exposto, DEFIRO o pedido de tutela antecipada para determinar à ré que mantenha em benefício da autora a disponibilização dos hospitais e laboratórios da rede credenciada da Unimed Paulistana, dos quais já vinha desfrutando normalmente. A providência deverá ser cumprida no prazo de 48 horas, sob pena de multa de R$ 2.000,00 (dois mil reais) por dia de atraso, estabelecendo limite máximo de sua incidência em 30 (trinta) dias, oportunidade em que a sanção será revista….” (gn)[i]

“…Presentes, pois, os requisitos do artigo 300 do CPC, defiro a antecipação dos efeitos da tutela para determinar que a ré autorize e providencie a cobertura das despesas de atendimento e exames nos Hospital São Luiz (unidade Anália Franco) e laboratórios Delboni Auriemo, CDB Centro de Diagnóstico Brasil e Digimagem Hermes Pardini, localizados no Bairro do Tatuapé, no prazo de cinco dias, sob pena de multa a ser oportunamente arbitrada…”(gn)

“….Defiro em parte o pedido de tutela de urgência: Conforme informado pela ré o descredenciamento do Hospital São Luiz ocorreu por iniciativa deste nosocômio, porém, tal situação não pode implicar em prejuízo ao autor, alheio às questões comerciais entre ré e hospital. Assim, a título de tutela de urgência, deverá a ré depositar nestes autos e no prazo de 48h o valor de R$ 250.070,15. Caso o autor necessite de outro tratamento em referido hospital, deverá informar nestes autos o valor desembolsado ou informar o tratamento a ser realizado para que a ré providencie o respectivo custeio antecipado…” (gn)

[i] Preservada identidade das partes, processos nº 1018435-40.2016.xxxxx, 1010484-92.2016.xxxxx.,

 

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

Artigos relacionados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Search in posts
Search in pages
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

Assine Nossa Newsletter

Atenção Clientes

Papo Legal

Dúvidas e dicas jurídicas em podcast.
plugins premium WordPress
Envie sua dúvida
1
Tudo bem?
Olá. Tudo bem?