Advogado OnLine – Fale Agora – Alexandre Berthe Soham

Problemas com móveis planejados, como evitar e como resolver?

Consumidores ficam sem receber os móveis comprados e sofrem com o pedido de recuperação judicial realizado por empresas de móveis planejados. 

Aconteceu novamente, o pedido de recuperação judicial da Italian Comércio de Móveis e outras empresas pertencentes ao Grupo Millo (veja aqui) transformou em pesadelo o sonho de milhares de consumidores, e, infelizmente, mácula a imagem de um importantíssimo segmento do mercado mobiliário.

E, o fato é decorrente do quão frequentes são as intercorrências enfrentadas pelos consumidores após a aquisição dos móveis planejados, que já culminaram com a elaboração de no mínimo 03 artigos sobre o assunto[i].

Agora, novamente, com o pedido de recuperação judicial de um grande grupo, muito provavelmente, a grande maioria das pessoas dificilmente serão ressarcidas totalmente dos prejuízos e transtornos causados.

Outrossim, por incrível que possa parecer, os consumidores que realizaram o pagamento parcelado por intermédio de financeira, são os que, provavelmente, terão maior possibilidade de êxito no ressarcimento, demonstrando que, para esse tipo de negócio, considerando os riscos, o pagamento à vista nem sempre é uma boa escolha.

Dessa forma, é sempre importante rever algumas orientações quando da contratação desse tipo de serviço, vejamos:

Antes de comprar.

  • Pesquisar nos sites de reclamações sobre o histórico da empresa, lembrando-se que, até pelo volume de vendas, problemas pontuais podem existir, por isso é fundamental analisar a resposta de empresa para solução do problema;
  • Solicitar indicações sobre o vendedor, qualidade, respeito aos prazos de entrega e soluções dos, eventuais, problemas;
  • Ler atentamente o contrato, especialmente as cláusulas que informam sobre as condições e forma de pagamento, se existirá autorização para cessão dos direitos, prazo de entrega, multa pelo descumprimento e outras, sendo aconselhável que a análise do contrato seja realizada por profissional capacitado;
  • Optar pelo financiamento em longos meses, por intermédio de financeira, pode refletir em chance maior do ressarcimento em caso de problema futuro;
  • Optar pela utilização de cheque pré-datado, em caso de intercorrência, poderá facilitar o ressarcimento em caso de prejuízos futuro;
  • A utilização de financiamento por parcelamento via cartão de crédito, ainda que cômodo, se necessário realizar o cancelamento da cobrança, os procedimentos são extremamente burocráticos e muitas vezes somente são realizados por intermédio de ações judiciais, portanto, é algo que deve ser evitado;
  • Parcelar o pagamento por, no mínimo, 3x o prazo previsto para entrega é uma boa opção, ou seja, se o prazo de entrega for de 90 dias (03 meses) solicite o parcelamento por 09 meses;
  • Guarde sempre cópia dos contratos, e-mail, microfilmagens de cheques, faturas e todos os demais documentos relacionados ao assunto;
  • Monitore com frequência o nome da empresa, especialmente se o prazo de entrega solicitado for superior a 60 (sessenta) dias.

Quando da ocorrência de problemas.

Considerando a quantidade de problemas relacionados aos móveis planejados, infelizmente, é necessário que os consumidores tenham cautela e adotem os seguintes procedimentos:

  • No caso do descumprimento do prazo de entrega o consumidor deve evitar o aceite informal de qualquer justificativa, ou seja, é importante que exija documentação formalizada indicando o atraso e o novo prazo para regularização, ocasião em que terá a faculdade de decidir se deseja ou não manter a relação contratual;
  • O atraso superior a 07 (sete) dias, sem que tenha existido a formalização da nova data de entrega, quando for difícil o contato com a empresa é suficiente para que o consumidor tenha muita cautela e procure orientação profissional, pois é um sinal real de que problemas poderão ocorrer;
  • Registro de reclamações em sites e Procon podem ser úteis, mas não é o meio correto para garantir o cumprimento do acordado e, em algumas situações, a demora para a finalização da reclamação administrativa pode significar na perda de tempo crucial para o sucesso do ressarcimento futuro, portanto, ainda que possa parecer uma forma menos onerosa, o tempo para encerramento do processo administrativo pode refletir em prejuízos;
  • Busque orientação capacitada, pois o profissional poderá adotar alguns procedimentos preventivos para resguardo de direito;
  • Não demore para adoção de procedimentos judiciais, ainda que em alguns casos seja necessária a dispensa de valores para contratação do profissional;
  • Cuidado ao realizar a suspensão de pagamento (sustar cheque) sem a consulta profissional capacitada, pois, não raramente, os cheques estão em posse de financeiras, existindo forma e meio legal para a obtenção judicial da ordem de suspensão do pagamento, o consumidor que não realizar o procedimento correto, além do problema decorrente do não recebimento dos móveis, terá que lidar com a possibilidade de sofrer negativação cadastral e cobrança judicial.

Posto isso, o cliente que seguir as orientações, em caso de intercorrência, terá chances maiores em amenizar e/ou ser ressarcido dos prejuízos materiais e/ou morais sofridos.

 

 

[i] https://alexandreberthe.com/2014/11/25/problemas-com-moveis-planejados/https://alexandreberthe.com/2013/10/08/dano-moral-atraso-entrega-movel-planejado-alexandre-berthe/

https://problemascomimovel.wordpress.com/2014/01/21/ocka-moveis-planejados-consumidor/#more-549

 

Artigos Relacionados:

1 Comentário

  • Caro Dr. Alexandre B Pinto, bom dia…

    O vosso artigo sobre o assunto de moveis planejados.
    Após o esclarecimento e dicas acima e ter lido o conteúdo da recuperação judicial, das empresas do MILLO MOVEIS.
    Me livrou de uma dor de cabeça no futuro.

    Parabéns, pela matéria esclarecedora.

    Atenciosamente,

Deixe uma resposta

Está Com Dúvida?

Chat OnLine

Iniciar atendimento
1
Podemos Ajudar?
Olá - Como podemos ajudar? Informe resumidamente o desejado para que possamos direcionar ao responsável.