Fale via texto agora

Condomínio pode recusar correspondência judicial quando ausente o destinatário?

Em setembro de 2014, compartilhei o artigo – “O condomínio é o responsável pelo extravio de correspondência?”[i] – ocasião em que foi registrado o quão necessário é para a administração condominial adotar procedimentos para o  controle de recebimento e entrega de postagem.

E, no que tange ao controle das correspondências judiciais, com a alteração do Novo Código de Processo Civil, é possível considerar que agora os condomínios residenciais estão obrigados e implantar um método rápido e eficaz no controle de entrega de postagem e atualização de dados cadastrais dos condôminos, semelhante ao que já existe em vários condomínios comerciais, sob pena de figurar como réu em ações indenizatórias.

A assertiva é oriunda do contido no §4º do artigo 248 do Novo Código de Processo Civil (NCPC) que assim dispõe:

Art. 248 – Deferida a citação pelo correio, o escrivão ou o chefe de secretaria remeterá ao citando cópias da petição inicial e do despacho do juiz e comunicará o prazo para resposta, o endereço do juízo e o respectivo cartório.

….

§ 4º Nos condomínios edilícios ou nos loteamentos com controle de acesso, será válida a entrega do mandado a funcionário da portaria responsável pelo recebimento de correspondência, que, entretanto, poderá recusar o recebimento, se declarar, por escrito, sob as penas da lei, que o destinatário da correspondência está ausente.

Portanto, em razão da alteração na legislação, entregue a correspondência, o funcionário da portaria preencherá o AR (Aviso de Recebimento) que retorna ao processo. Assim, EM TESE, o AR assinado pelo funcionário do condomínio terá a capacidade de validar a citação da parte no processo, iniciando-se a contagem de prazo e todos os demais procedimentos decorrentes da validação do ato processual, entre eles, a mais temida citação válida, que pode refletir na revelia processual.

Destarte, é possível afirmar que a alteração legislativa trouxe maior responsabilidade aos funcionários e a administração condominial, pois deverá manter um controle funcional das correspondências recebidas do Poder Judiciário e de entrega para seus destinatários, no caso condôminos e/ou proprietários, sob pena responder por eventuais prejuízos sofridos pelos destinatários que não tiverem ciência do recebimento da correspondência pelo funcionário do condomínio, neste sentido:

CIVIL. CONDOMÍNIO. EXTRAVIO DE CORRESPONDÊNCIA. REVELIA DECRETADA EM PROCESSO PERANTE A JUSTIÇA TRABALHISTA. DANOS MATERIAIS E MORAIS. DEVER DE INDENIZAR DO CONDOMÍNIO.1 – O extravio ou a entrega tardia das correspondências, por preposto do condomínio, evidencia negligência capaz de ensejar o dever de indenizar, quando a conduta acarretar prejuízo ao condômino destinatário. 2 – A ausência de cláusula na convenção do condomínio, não prevendo o dever de indenizar em tais circunstâncias, não o isenta, por se tratar de responsabilidade aquiliana, prevista no artigo 159, do Código Civil. 3 – Recurso conhecido e improvido. Sentença mantida.  Classe  : ACJ – Apelação Cível no Juizado Especial N. Processo: 2002 01 1 013685-8.

Outrossim, respeitando opiniões em contrário, ainda que louvável o anseio do Legislador em agilizar os andamentos processuais, o §4º do art. 248 do Novo CPC trouxe um ônus extremamente elevado ao condomínio.

Destarte, é certo que em breve teremos ações em que condomínios figurarão como réus em pleitos indenizatórios e teremos condôminos questionando a constitucionalidade do declinado artigos.

Portanto, até que o nicho condominial implante um sistema de controle de correspondência e de localização dos condôminos eficaz, é aconselhável que os funcionários SOMENTE recebam carta remetida pelo Poder Judiciário após confirmar que o destinatário está no condomínio, quando a confirmação não for possível o funcionário utilizará da norma que dispõe “…poderá recusar o recebimento, se declarar, por escrito, sob as penas da lei, que o destinatário da correspondência está ausente.”.

É importante destacar que a negativa para o recebimento em razão da norma atual precisa ser justificada pela ausência do destinatário, ou seja, não pode mais o funcionário recusar receber a correspondência por proibição contida na Convenção/Regimento Interno.

Não obstante, é totalmente previsível que questionamento judicial quanto a constitucionalidade do §4º venha a existir, e não será surpreendente se nos próximos anos tenhamos entendimentos jurisprudenciais sobre a presunção da citação válida contida na declinada norma. Afinal, é incontestável que o Novo Código de Processo Civil visa agilizar os atos processuais, contudo transferir a terceiros o ônus da formalização dos atos citatórios via postal, ao menos por ora, é um procedimento que necessita ser melhor avaliado, tamanha responsabilidade imposta indiretamente aos funcionários (porteiros) e os condomínios.

Conclui-se, portanto ser fundamental que cada condomínio oriente adequadamente seus funcionários no afã de evitar discussões futuras relativas quanto ao recebimento/entrega de correspondências enviada pelo Poder Judiciário e destinada ao condômino.

Por Alexandre Berthe Pinto


[i] [i]{C} https://problemasnocondominio.com/2014/09/27/o-condominio-e-o-responsavel-pelo-extravio-de-correspondencia/

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

Artigos relacionados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Search in posts
Search in pages
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

Assine Nossa Newsletter

Atenção Clientes

Papo Legal

Dúvidas e dicas jurídicas em podcast.
plugins premium WordPress
Envie sua dúvida
1
Tudo bem?
Olá. Tudo bem?